Educação Midiática: uma necessidade atual | UniCarioca | Centro Universitário Carioca

Vestibular 2021
Dê o próximo passo
na sua vida!

Receba + info

Ver mais
Nós te ligamos

Acontece
Notícias

Artigos

Educação Midiática: uma necessidade atual

26/10/20

Por Celso Niskier 

Participando do podcast da ABMES, “e por falar em educação”, junto com os especialistas Mariana Ochs e Eduardo Ribeiro, pude compreender melhor a importância da preparação dos jovens estudantes para o mundo atual, repleto de informações falsas, incompletas e enviesadas.

O que convencionou-se chamar de “Educação Midiática” é um corpo de conhecimentos, habilidades e atitudes para municiar os estudantes com o conjunto de ferramentas necessárias para o pensamento crítico, reflexivo e comparativo, dando a eles um “mapa” conceitual para que possam interpretar melhor a realidade, a partir do acesso a fontes confiáveis de informação.

É sabido que opiniões não são fatos, e crenças não são conhecimentos, mas, muitas vezes, os jovens têm dificuldade para entender essas diferenças, e isso abre a possibilidade de confusão mental, e até de ideologização da sala de aula, o que não é desejável.

O professor deve ensinar o estudante a aprender, a partir de múltiplas fontes e pontos de vista diferentes. Diversidade não é só de pessoas, mas também de ideias, e essa deve ser a base da socialização escolar. Em tempos de pandemia, em que milhões de alunos estudam remotamente, a educação sobre os meios de comunicação adquire importância maior.

Defendo que tal corpo de conhecimentos faça parte dos currículos dos cursos de Licenciatura, aproveitando a transversalidade do tema, e sua aplicação às mais variadas disciplinas na formação do docente. Um professor que entende o seu papel de facilitador da aprendizagem deve ser o curador do conhecimento dos seus alunos, garantindo um ambiente de aprendizagem múltiplo, dinâmico e conectado com a realidade.

Em tempos de “fake news”, que impactam o próprio conceito de democracia e corroem o tecido social, é preciso cuidado redobrado com o uso das redes sociais nas escolas. Queremos uma sociedade conectada sim, mas também queremos uma sociedade solidária, humana e acolhedora.

A tarefa de construir essa sociedade em constante aprendizagem e evolução é tarefa de todos nós educadores, uma notícia de cada vez. De preferência, verdadeira.

Fonte: ABMES